Caminhos

Caminhos
Porque não pode haver outra forma senão a de existir tal como somos...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016



É tempo de comer todos os frutos, mesmo a maçã proibida de Adão. O pecado é um pó inócuo e purificador impresso na pele, um castelo de areia a desfazer-se em permanente luta contra as falésias do devir. Há febre a latejar no teu corpo dormente (estátua de pedra a gemer lamúrias secretas) em cada minuto adiado e já é tarde em cada instante que passa.
Nunca sabemos de que lado espreita a madrugada para anunciar de repente a partida. Chronos não dorme e jamais se compadecerá das nossas hesitações.