Caminhos

Caminhos
Porque não pode haver outra forma senão a de existir tal como somos...

sábado, 21 de julho de 2018


Senhor Ministro da Educação:

Estou feliz, sou professora, diretora de turma e, para cumprir os inúmeros pontos da Ordem de Trabalhos da última reunião de avaliação, fiz uma ata com 11 páginas e 86 anexos.
Anexo 1: aulas previstas e dadas de cada disciplina e conteúdos não lecionados por cada professor e respetiva justificação; anexo 2: prémios de mérito; anexo 3: dificuldades diagnosticadas na turma ao longo do ano a todas as disciplinas; anexo 4: medidas disciplinares aplicadas ao longo do ano; anexo 5: apoios educativos a implementar no próximo ano letivo; anexo 6: atividades da turma ao longo do ano, inseridas no Plano Anual de Atividades; anexo 7: PEST (Projeto de Educação Sexual em contexto de turma).
Depois há os anexos não numeráveis e pertencentes a outra casta, sendo específicos de cada aluno e a maioria em número variável, de acordo com a turma.
Relatórios de apoio pedagógico acrescido: 8 a Físico-Química; 14 a Matemática e 9 a Inglês. Propostas de apoio para o próximo ano: 6 a Português; 3 a Espanhol; 8 a Inglês; 12 a Matemática e 8 a Físico-Química. Um relatório de PSE de Matemática; duas propostas de Tutoria; um relatório de Tutoria; uma proposta para os Serviços de Psicologia e um documento para o encarregado de educação autorizar ou não a sinalização do aluno; um parecer dos  Serviços de Psicologia; dois relatórios para a CPCJ; uma comunicação da CPCJ; um relatório para um aluno com Necessidades Educativas Especiais.
Contei bem, Senhor Ministro? 86 anexos! Elaborados, conferidos e assinados. Em número variável de acordo com a turma. Baseados em inúmeros Decretos-Lei e Despachos que não importa referir aqui. Amanhã irei proceder às matrículas dos meus alunos. São só mais 10 papéis para digerir e preencher!
Esta é só uma minúscula parte do trabalho feito pelos professores numa altura do ano em que a opinião pública supõe que estão de férias. E ao longo do ano, para qualquer professor, mesmo com aulas, continua a saga dos papéis, das reuniões, da burocracia e da legislação.  
Senhor Ministro, estou cansada. Resta-me pouco tempo para preparar as minhas aulas. Aulas pensadas de forma a incutir o espírito crítico nos alunos que constituirão a sociedade do futuro. Resta-me pouco tempo para ensinar, que é o que verdadeiramente gosto de fazer. No entanto, a engrenagem está bem montada. Alunos interrogativos e sapientes tornam-se adultos incomodativos. Os meus alunos passaram todos. Muitos ao abrigo da Santa Legislação.
Quanto aos professores, ganham bem, não fazem nada, têm muitas férias ao longo do ano e por isso têm 9 anos, 4 meses e 2 dias da carreira congelados, sem progredir. Passámos a ser números, não pessoas.

Graça Alves




4 comentários:

  1. Quem faz as leis e os programas, não tem a mínima noção do que é o trabalho de um professor. Ou se tem, não quer saber.

    Este tema dá pano para mangas, mas eu já me cansei de falar...

    Um beijinho e um bom fim-de-semana:)



    ResponderEliminar
  2. Minha querida Amiga Graça, mas que "guerra" esta, que o governo não resolve. Confesso que não entendo…
    Que tudo se resolva bem. E que vá de férias com tranquilidade…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Um grande e carinhoso abraço, Graça.
    Desejo que tudo esteja a correr da melhor maneira com a sua mãe.
    Vou de férias.
    Deixei um mimo...

    ResponderEliminar
  4. Viva Graça!
    Fez-me uma surpresa e acertou. Não tinha muito que enganar, não é?
    Eu é que não sei bem se sou ou não beikiano. Tinha lido, achei bem, tinha raça e comentei. E pronto. Peço desculpa por não ter dito mais nada - nem sim nem sopas. Está na lista para decidir, mas não é falta de consideração.
    Se não quiser ver este arrazoado > lixo.
    Bj.

    ResponderEliminar