Caminhos

Caminhos
Porque não pode haver outra forma senão a de existir tal como somos...

sábado, 9 de maio de 2020




"Ó Coimbra do Mondego e dos amores que eu lá tive 
Quem te não viu anda cego, quem te não ama não vive..."
Que arrepios! ❤️🧡

A serenata simbólica daquela que seria a Queima 2020 de Coimbra foi transmitida pela televisão. E que bem que soube ouvir o som daquelas guitarras que falam do amor e da saudade e que fazem arrepiar até os menos sensíveis.
Esta seria a semana da Serenata em Coimbra, a semana da Queima, do Cortejo, da praxe, dos F-R-A, das flores, das fitas coloridas, dos concertos, da festa, da alegria dos jovens e das famílias, da irreverência e também dos excessos. A cidade fechou-se na quarentena. O mundo está de luto, mas as capas são negras. Então que elas se abram em janelas e varandas, não como protesto aos excessos que não pode haver, mas na homenagem possível e silenciosa a todos os que partiram nesta pandemia inqualificável e desconhecida do nosso mundo civilizado e a todos os que trabalham corajosamente para lhe pôr fim.

A minha capa já está à varanda. E tu, vais pôr a tua?

Quero ver muitas capas de quarentena em janelas e varandas, vamos lá, Coimbra 💕

A minha capa



3 comentários:

  1. Vai tudo correr bem, Graça. A serenata foi linda, apesar de tudo...
    Um bom fim de semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Espero que tenham havido muitissimas capas penduradas nas varandas e janelas!

    Grande abraço, Graça

    ResponderEliminar
  3. Coimbra engalanada com capas negras à varanda ou à janela. Gosto da ideia.

    Um abraço, Graça :)

    ResponderEliminar