Caminhos

Caminhos
Porque não pode haver outra forma senão a de existir tal como somos...

sábado, 28 de novembro de 2015


eu sei que tu existes
embora vivas oculto
nas correntes macias e confortáveis
do veludo diário das manhãs
que te vestem
eu sei que tu existes
porque vejo o teu olhar livre como o vento
a devorar horizontes de luz
e a transportar paraísos platónicos
que colheste nos sonhos da noite
brincas às escondidas
fora de ti mas eu vejo-te
porque não sou lúcida
e a minha demência
vê para além dos meus olhos
quando deixares de te esconder
no silêncio da tua voz
renascerás
e verás de novo reinventar-se
o dia da primavera eterna

6 comentários:

  1. Que bonito! Gostaria de saber escrever assim.

    ResponderEliminar
  2. Já tens duas recomendações.
    Muito bom. Aos poucos, este espaço vai sendo conhecido e habitado.
    Parabéns.
    Beijinhos.:))

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar