Caminhos

Caminhos
Porque não pode haver outra forma senão a de existir tal como somos...

sábado, 28 de janeiro de 2017



Meu coração partiu não está em mim
Vai a fugir no meu sonho a cavalo
Diz-me adeus e que é melhor assim
Resgatar-me deste meu ser vassalo.

Antes vivia a vida em frenesim
Na agitação constante de encontrá-lo
Agora esta dormência a que advim
Esta paz triste e lenta em que resvalo.

Agora já não choro por amor
Nem ânsia ou qualquer fúria me detém
Mas uma angústia longa de refém.

E de manhã acordo nesta dor:
Meu coração fugiu - analisei
Mas será que o perdi ou o encontrei?


Elevador do Mercado - Coimbra


Campos do Ribatejo

Cavalo da Escola Secundária D. Duarte


sábado, 21 de janeiro de 2017



Absurdos são os contornos dos dias em que esmagamos o silêncio contra as paredes da casa e renascemos das noites de amargura para viver outra vez. Somos páginas soltas à deriva no espaço. Podíamos dar as mãos neste intervalo, que tem o tamanho triste de uma vida, mas estacamos renitentes aos abraços. 

Os ventos que nos rumam sopram em direcções contrárias. O medo oprime-nos enquanto sorri e acena-nos de todas as frestas com uma ilusória bandeira da paz.


domingo, 15 de janeiro de 2017



Tenho andado ausente. Não prometo ser mais regular por estas paragens. 

Quero dedicar o meu primeiro post de 2017 a todos vocês que passam por aqui. Quero agradecer-vos os minutos de atenção, as palavras amigas, os vossos posts agradáveis que servem para refletir, aprender, ou simplesmente repousar os ouvidos ou o olhar. 
Feliz 2017 para todos! E, apesar das neblinas ou das sombras, cada vez mais é urgente...


Ser como as árvores persistente e estender os ramos para o céu ao ritmo do vento. Alongar o tronco e abraçar a infinitude. Esticar as raízes em busca de mais terra. Acreditar sempre na melodia das folhas que renascem e agradecer às que caem, pois cumpriram o fim para que nasceram. Olhar o céu. Aprender com os pássaros. Não desistir. Não vergar ao cansaço. Teimar. Perdurar. Ser resistente.







































P.S.: As fotos são sempre as que vou tirando nas minhas deambulações pelo espaço...
Beijos
Obrigado!