Caminhos

Caminhos
Porque não pode haver outra forma senão a de existir tal como somos...

domingo, 13 de março de 2016


Homenagem às gentes do meu bairro

Bairro

Gosto do meu bairro onde vivem
as mesmas pessoas há décadas
e transportam consigo o rosto dos tempos,
as rugas do que aconteceu com elas
e comigo e com todos.
O  meu bairro que tem ecos de silêncio
o meu bairro que não é meu, que é dele
e do outro e de ninguém.
O meu bairro vulgar onde nada acontece
onde só por vezes alguém deixa de existir
sem deixar de ser.
O meu bairro onde não cabe
o acontecimento de uma reportagem
e que por isso mesmo é bonito.
O meu bairro é velho, é pobre, é mundano,
é banal, vulgar,
mas tem marcas da nossa identidade
de sermos nós por dentro e por fora
de cabermos inteiros num “bom-dia!”
acompanhado de um sorriso redondo.
Comungo esta partilha e esta magia
com os outros
enquanto caminhamos diariamente
para o futuro envelhecendo sabiamente.

GA




















Flores de ginja no quintal da minha casa do bairro 

21 comentários:

  1. Muito belo este poema a um bairro com identidade e afectos.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite, GA
    Gostei muito desta poesia que desperta intimidades vividas que já não há. Hoje, a palavra Bairro, por si só, desperta sentimentos contraditórios de medo e repulsa. As pessoas vivem de costas voltadas alheias ao que se passa do outro lado da parede. Um bom dia no elevador, vá que não vá...

    Bairro?
    Cada um tem o seu
    mas já não há nenhum
    como o meu:
    quadrilha de Buck Jones
    a disparar bolas
    nas couboiadas das santas tardes
    a esfolar joelhos
    e a derreter solas.

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado!
      Tem muita razão...instalaram-se o egoísmo e a indiferença, quando cada vez precisamos mais uns dos outros...
      Que bonito poema...
      beijinho

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Gosto do poema, que me transportou até à rua onde vivi até aos 35 anos e onde continuei a ir diariamente até há poucos anos.
    Hoje já não é a mesma, porque já lá não estão as pessoas com quem cresci.

    Também gostei da foto:)
    Beijinhos e continuação de boa semana:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Isabel!
      Neste momento também já não vivo no meu bairro, mas é como se lá vivesse, continuará sempre meu...tenho lá um espaço para cuidar e pessoas que é sempre bom rever...
      beijinhos

      Eliminar
  5. Penso que na simplicidade das pessoas e das coisas é que está realmente a sabedoria e a beleza.
    Um bairro assim merece um poema que o enalteça e isso aqui aconteceu. Parabéns!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem dito!
      Obrigada :)
      Feliz semana!
      beijinho

      Eliminar
  6. No seu bairro ainda há espaço para cantar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. há, sim :) muito espaço para cantar!
      beijinhos e obrigada

      Eliminar
  7. E como é bom viver num sítio onde todos se conhecem...
    Um excelente poema, gostei imenso.
    Bom fim de semana, querida amiga Graça.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é verdade!
      Obrigado
      beijinho e bom domingo

      Eliminar
  8. Graça,
    Conheço alguns bairros, da vida muito própria que deles jorra. Infelizmente, devido à vida apressada dos tempos que decorrem, estão a perder viço, a vizinhança fica, cada vez mais, para lá da porta, num isolamento alicerçado na falsa convicção de que as paredes é que nos protegem, dando corda aos medos.
    Gostei das palavras, gostei ainda mais do aroma que se solta delas, a revelar uma sensibilidade muito própria.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, AC.
      Tem toda a razão na sua visão do bairro.
      O mundo, infelizmente, tornou-nos seres solitários, medrosos e egoístas...
      bjinho

      Eliminar
  9. Gostei do teu bairro, muito teu.
    Beijinho.:))

    ResponderEliminar
  10. O bairrismo fica sempre bem, desde que não seja exagerado.

    Do poema gostei muito.

    Abraço com votos de excelente Primavera.

    ResponderEliminar
  11. Também moro num bairro e gosto muito. Há sempre os bons dias tão saudáveis nestes tempos que correm. O poema é lindo. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, obrigada!
      É muito bom viver rodeada de gente simpática!
      beijinho

      Eliminar